Nesta terça-feira, 1º de março, o Projeto de Lei do Senado (PLS) 555 volta à pauta do Senado. O Sindicato, mais uma vez, se junta a trabalhadores de todo o Brasil e representantes de diversas categorias em concentração para lutar contra a proposta.

Às 10h da manhã, os trabalhadores realizaram debates com parlamentares no Senado, onde foram discutidas e elaboradas estratégias para barrar o PLS 555.

Durante todo o dia, a mobilização permanece e os representantes de diversas categorias conversarão com senadores para apontar os riscos trazidos pelo projeto privatista. A votação está prevista para esta tarde e pode se estender até amanhã, dia 2 de março.

O projeto apresenta grandes riscos para o Brasil e o povo brasileiro ao abrir caminho para a privatização de importantes empresas como a CAIXA, os Correios e o BNDES. No caso da CAIXA, o chamado Estatuto das Estatais coloca em risco o papel social do banco, que contribui para o crescimento social e econômico do Brasil e beneficia milhões de pessoas.

Segundo Maria Rita Serrano, coordenadora do Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas, o PLS 555 trata-se de um projeto abrangente e bastante complexo, que engloba todas as empresas públicas do país, sejam elas de caráter federal, estadual ou municipal e deve ser debatido com diversos atores sociais e toda a sociedade. “Um projeto deste tamanho precisa ser melhor discutido com a sociedade. Independente do substitutivo, não é possível discutir um projeto com estas características, que vai formatar um outro modelo de empresa pública, sem que a sociedade, os trabalhadores e a própria direção destas empresas, e sem que o próprio governo discuta tudo isso de forma mais clara. Nós queremos mais espaços para este debate. Não é possível que o Senado venha decidir esta questão a ‘toque de caixa’, ferindo o direito dos trabalhadores”, ressaltou Serrano.

Compartilhe: