Foto: Lidyane Ponciano

Com unidade e renovação na diretoria executiva, trabalhadoras e trabalhadores mineiros encerraram o 12º Congresso Estadual da CUT/MG neste domingo, 30 de agosto, em Belo Horizonte. Durante o evento, que começou na sexta-feira, 28, os participantes discutiram a conjuntura política e econômica e aprovaram um Plano de Lutas. Os bancários mineiros foram representados por delegadas e delegados eleitos em Assembleia realizada no Sindicato.

Neste sábado, 29, os participantes do 12º Cecut elegeram a nova direção da Central Única dos Trabalhadores em Minas Gerais, com a reeleição da presidenta Beatriz Cerqueira e renovação superior a 50%. Com a eleição, o Sindicato dos Bancários de BH e Região voltou a integrar a diretoria da CUT/MG, com diretores e bancários de base.

A presidenta do Sindicato, Eliana Brasil, destacou o sucesso da última gestão. “A reeleição de Beatriz Cerqueira confirma o excelente trabalho realizado pela direção da CUT-MG diante dos grandes desafios que enfrentamos nos últimos anos, fortalecendo a luta de trabalhadoras e trabalhadores mineiros. Realizamos um grande Congresso Estadual, que reafirmou nossa unidade, e conseguimos eleger uma chapa com ampla renovação e com paridade de gênero, que é o que sempre buscamos construir também nas entidades representativas da categoria bancária. Confiamos na força da companheira Beatriz Cerqueira para que possamos sempre avançar, lutando contra qualquer retrocesso”, afirmou.

Com o tema “Os desafios da classe trabalhadora em Minas e no Brasil”, o 12º CECUT contou com diversos debates e a participação de importantes lideranças. Na sexta-feira, 28, a abertura do evento foi realizada no Chevrolet Hall com a presença do ex-presidente Lula. O presidente da CUT Nacional, Vagner Freitas, também participou do evento, além de representantes de importantes entidades e movimentos, como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e a Federação Única dos Petroleiros (FUP).

Os trabalhadores destacaram a importância da defesa da democracia e também de lutar contra uma política econômica que favorece apenas os grandes capitalistas, apresentando alternativas de reformas que garantam a diminuição da desigualdade e permitam avanços nos direitos trabalhistas. Neste sentido, os debatedores lembraram os participantes sobre o lançamento da Frente Brasil Popular, que ocorrerá em Belo Horizonte durante Conferência no dia 5 de setembro. A Frente busca trazer alternativas de esquerda para a superação da crise.

O diretor do Sindicato Carlos Augusto Vasconcelos (Mosca), que passou a integrar também a diretoria da CUT/MG, ressaltou a força da categoria bancária e seu importante papel dentro da Central. “Os bancários são uma categoria organizada e a única a ter uma Convenção Coletiva de Trabalho de abrangência nacional, sendo de extrema importância para o fortalecimento da luta de outros trabalhadores. Neste momento em que o presidente da CUT Nacional, Vagner Freitas, também é bancário e disputa a reeleição, esperamos nos unir às demais categorias para continuar fortalecendo nossa Central, que é a maior da América Latina, assim como defendendo a manutenção de um projeto democrático e popular de governo para o Brasil, baseado em avanços sociais e no combate à desigualdade”, afirmou.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com CUT-MG

Compartilhe: