Em solenidade ocorrida na manhã do dia 21 de março, a UNI Sindicato Global assinou o Acordo Marco Global com o Itaú, na sede do banco, em São Paulo. O documento foi subscrito pelo secretário-geral da UNI, Philip Jennings, que saiu de Nyon, na Suíça, e veio ao Brasil para firmar o primeiro acordo marco com um banco privado brasileiro. O Banco do Brasil foi o primeiro banco público do país a assinar esse instrumento.

Crédito: Jailton Garcia – Contraf-CUT

 

Também estiveram presentes o chefe mundial da UNI Finanças, Márcio Monzane, a secretária regional da UNI Américas, Adriana Rosenzvaig, o presidente da Contraf-CUT e da UNI Américas, Carlos Cordeiro, e o diretor regional da UNI Américas Finanças, André Rodrigues.

Participaram ainda a secretária-geral da Contraf-CUT, Ivone Silva, o secretário de Relações Internacionais da Contraf-CUT, Mário Raia, além de outros dirigentes sindicais do Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile.

Pelo Itaú, compareceram o diretor Marcelo Orticelli, a diretora Renata Tubini e o superintendente de relações de trabalho Marco Aurélio Oliveira.

Acordo na democracia

Os representantes dos bancários agradeceram o esforço dos dirigentes da UNI e das entidades sindicais de vários países da América Latina, bem como dos representantes do banco, ressaltando que este é  um momento importante na história do Brasil, quando o país lembra 50 anos do golpe de 1964, que causou também impactos nos demais países das Américas, que igualmente sofreram com as ditaduras. Ressaltaram ainda a importância de assinar este acordo na democracia, e arrancaram aplausos dos presentes, sobretudo dos dirigentes sindicais da Argentina, Uruguai, Chile e Paraguai, cujos regimes militares também deixaram rastros de mortes, torturas e desaparecimentos.

O acordo marco garante direitos fundamentais para os bancários do Itaú em todos os países onde o banco atua, como o direito à organização sindical, o direito de sindicalização, o direito à negociação coletiva e o direito à contratação.

O primeiro acordo com o Itaú é fruto das reuniões das redes sindicais dos bancos internacionais, que agora também negociam com as instituições financeiras, buscando firmar instrumentos para melhorar as condições de trabalho dos bancários no continente. O acordo é muito importante para o trabalhador e ajudará a resolver problemas, sendo um bom sinal para o sistema financeiro como um todo, reforçando a importância do diálogo e da negociação entre empresas e trabalhadores.

O secretário de relações internacionais da Contraf-CUT também comemora a assinatura do acordo marco com o Itaú. “É o segundo acordo firmado com bancos brasileiros, refletindo a inserção do Brasil na economia global com valorização do trabalho e do diálogo com o movimento sindical”, salientou Mário Raia.

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

 

Compartilhe: