Após pressão do Sindicato, que juntamente com o Ministério Público do Trabalho e Emprego de Minas Gerais(MPT), exigiram do Mercantil do Brasil o fim do abastecimento de numerário pela parte frontal dos terminais de autoatendimento (ATMs), o banco inaugurou, em dezembro de 2014 na Agência Matriz, o novo conceito de abastecimento, pela parte traseira dos equipamentos. Com o novo método, criou-se um corredor que garante o sigilo dos bancários que efetuam o trabalho de abastecimento.
 
A luta do Sindicato neste sentido é antiga. Há tempos os trabalhadores do Mercantil do Brasil sofriam com o descaso da empresa que ainda insistia com o abastecimento pela parte dianteira dos ATMs, causando grande insegurança e apreensão devido à vulnerabilidade da operação. A exposição ao perigo é  tão grande que os funcionários são obrigados a abastecer as máquinas várias vezes ao dia na presença de clientes e usuários.
 
Após várias reivindicações, ofícios do Sindicato  e também a presença do Ministério Público do Trabalho e Emprego, o Mercantil do Brasil se viu obrigado a apresentar um cronograma que prevê a troca gradual dos equipamentos de ATMs, para as agências de todo o estado de Minas Gerais.
 
Para Marco Aurélio Alves, funcionário do Mercantil e diretor do Sindicato, essa é mais uma conquista histórica da entidade que  junto aos trabalhadores não mediu esforços para obter essa importante vitória. “Valeu todo esforço para garantir mais segurança para os bancários e clientes do Mercantil do Brasil. Agora vamos continuar as fiscalizações para exigir o cumprimento fiel do cronograma das trocas dos equipamentos. Também vamos exigir a extensão para todas agências do Mercantil espalhadas pelo país”.

“Não se iludam em pensar que o Mercantil e o seu Departamento de Capital Humano estão preocupados com o bem estar e a segurança de seus funcionários. Estamos cobrando essa medida há anos e o banco só acatou depois que o Sindicato denunciou ao Ministério Público do Trabalho, o risco que os trabalhadores estavam correndo com abastecimento pela parte frontal das máquinas ATMs”. Alertou o  funcionário do Mercantil do Brasil e diretor do Sindicato, Vanderci Antônio da Silva.

 

Compartilhe: